:: UNESP : Câmpus Experimental de Dracena ::
Câmpus Experimental de Dracena
Câmpus Experimental de Dracena
     
 
Graduação - Trabalho de Curso - Zootecnia :::
 

Portaria CEDRAC Nº 012/2011 – CE

 
Regulamento do Trabalho de Curso em
Zootecnia (TCZ) do Campus
Experimental de Dracena.
 

O Coordenador Executivo do Campus de Dracena – UNESP, no uso de suas atribuições legais, expede a seguinte PORTARIA, que regulamenta a realização do Trabalho de Curso em Zootecnia (TCZ), desta Instituição, conforme segue:

 

APRESENTAÇÃO

 

Visando a atender o que estabelece a Resolução MEC/CNE/CES nº 04, de 02 de fevereiro de 2006, que aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Zootecnia e dá outras providências, e de acordo com a Resolução UNESP nº 36, de 04/09/2008, que estabelece a estrutura curricular do Curso de Zootecnia do Campus Experimental de Dracena, o Trabalho de Curso em Zootecnia (TCZ) passa a ser oferecido obrigatoriamente aos alunos ingressantes a partir de 2008 no curso de Graduação em Zootecnia deste Campus.

O presente “Regulamento Geral” foi elaborado para normatizar as diferentes etapas do Trabalho de Curso em Zootecnia (TCZ).

 

Capítulo I - DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

 

Artigo 1º - O Trabalho de Curso em Zootecnia (TCZ) é um trabalho que o aluno do curso de Zootecnia deve, obrigatoriamente, desenvolver com tema relativo à pesquisa, à extensão ou ao ensino, nas diferentes áreas do conhecimento zootécnico, e apresentar ao Campus Experimental de Dracena, como parte das exigências para conclusão do curso.

Parágrafo único – O Trabalho de Curso em Zootecnia (TCZ) tem por objetivos:
I - Proporcionar ao estudante um treinamento em metodologia científica;
II - Despertar ou desenvolver no estudante a aptidão para a pesquisa;
III - Formar um profissional com sólida base de conhecimentos científicos, dotados de consciência ética e visão crítica global dos problemas agropecuários.

 

Capítulo II - DAS CATEGORIAS DE TRABALHO E DO NÚMERO DE CRÉDITOS

 

Artigo 2º - O Trabalho de Curso em Zootecnia (TCZ), de acordo com sua natureza, será classificado nas seguintes categorias:

I - revisão bibliográfica com análise crítica e/ou tratamento de dados;
II - trabalho de pesquisa;
III - atividades de extensão, no qual, o aluno, juntamente com o(s) orientador(es), deverá definir uma linha de atuação, visando à solução de problemas e, consequentemente, desenvolver o trabalho apoiado em levantamento bibliográfico em atividades de assistência técnica, planejamento ou administração agropecuária, produção ou plano de negócios (com o objetivo de criação e estruturação de empresas).

Artigo 3º - Independentemente da categoria a que se refere o Artigo 2º, o número de créditos a ser atribuído ao Trabalho de Curso, uma vez aprovado, será de 12 (doze) créditos, com notas variando de 5,0 (cinco vírgula zero) a 10 (dez), devendo ser considerada apenas uma casa decimal.

 

Capítulo III - DA COORDENAÇÃO

 

Artigo 4º - A coordenação dos Trabalhos de Curso será exercida pelo Conselho de Curso de Graduação em Zootecnia (CCGZ) no que se refere ao cumprimento das normas que regem este tipo de trabalho na Instituição.

 

Capítulo IV - DA ORIENTAÇÃO

 

Artigo 5º - A orientação para o desenvolvimento do Trabalho de Curso em Zootecnia, assegurada a todo aluno, será exercida por um professor que, no período de realização das atividades referentes ao TCZ, ministrar aulas em disciplinas do Curso de Graduação em Zootecnia deste Campus, e este passará a ser denominado orientador.

Artigo 6º - O orientador poderá ser auxiliado, na sua tarefa, por até 2 (dois) co-orientadores.

§ 1º - Poderão atuar como co-orientadores: docentes, profissionais de outras instituições e alunos de Pós-Graduação, convidados pelo orientador e aceitos pelo Conselho de Curso de Graduação em Zootecnia (CCGZ).

§ 2º - Deverá, sempre que possível, ser estimulada a cooperação entre disciplinas básicas e disciplinas aplicadas.

Artigo 7º - A orientação para o desenvolvimento do TCZ terá duração mínima de um semestre e máxima de dois semestres letivos consecutivos.

Artigo 8º - O número máximo de orientados por orientador será de 3 (três) alunos.

 

Capítulo V - DA INSCRIÇÃO, SELEÇÃO E PLANO DE TRABALHO

 

Artigo 9º - A inscrição no TCZ fica condicionada ao atendimento dos seguintes requisitos:

I – aprovação em, no mínimo, 85% dos créditos das disciplinas obrigatórias do curso;

II – cumprimento do período de inscrição estabelecido em calendário;

III – entrega de Proposta de Trabalho.

§ 1º -   A inscrição no TCZ deverá ser solicitada no semestre imediatamente antecedente à apresentação e defesa do mesmo, em formulário próprio.

§ 2º -   O aluno, junto com seu orientador, deverá providenciar a elaboração da Proposta de Trabalho, em três vias, e entregá-la no ato da inscrição na Área de Graduação/Pós-Graduação.

§ 3º -   As vias da Proposta de Trabalho de Execução serão encaminhadas pela área de Graduação/Pós-Graduação ao Conselho de Curso de Graduação em Zootecnia (CCGZ) que terá um prazo de 30 (trinta) dias, contados a partir do recebimento desta documentação, para apresentar sua manifestação.

§ 4º -   A primeira via da inscrição e uma cópia da Proposta de Trabalho deverão ser conservadas no prontuário do aluno, junto à Área de Graduação/Pós-Graduação.

§ 5º -   As duas vias restantes da Proposta de Trabalho aprovadas deverão ser entregues ao orientador e ao aluno, respectivamente, pela Área de Graduação/Pós-Graduação, após a aprovação do CCGZ.

§ 6º -   Caso a Proposta de trabalho não seja aprovada pelo CCGZ, o aluno, juntamente com seu orientador, terá um prazo de 05 (cinco) dias úteis para apresentação de nova proposta. Caso contrário, a inscrição ficará automaticamente cancelada.

§ 7º -   O CCGZ também terá o prazo de 05 (cinco) dias úteis, contados a partir do recebimento da nova proposta para apresentar sua manifestação, podendo, em casos excepcionais, utilizar-se de ad referendum.

 

Capítulo VI - DA CONDUÇÃO DO TRABALHO

 

Artigo 10 -     A execução do Trabalho deverá, dentro dos limites estabelecidos pelas circunstâncias, ater-se a proposta de trabalho.

Parágrafo único -     O TCZ poderá ser iniciado após a integralização do mínimo de créditos em disciplinas obrigatórias estabelecido no inciso I do Artigo 9º e concluído até o semestre imediatamente antecedente ao ingresso no Estágio Supervisionado Obrigatório.

Artigo 11 -     No caso da elaboração de uma nova Proposta de Trabalho, com o mesmo orientador ou outro, deverá o aluno tomar providências semelhantes às previstas no Capítulo V.

Artigo 12 -     Toda modificação na Proposta de Trabalho deverá ser aprovada pelo CCGZ, com um mínimo de dois meses de antecedência ao prazo estabelecido no calendário escolar para a entrega dos Trabalhos de Curso.

Artigo 13 -     Se, por qualquer motivo, o orientador vier a se afastar ou se desligar da instituição, caberá ao CCGZ, indicar seu substituto.

Parágrafo único -     Caso haja a participação de co-orientador(es), um deles passará a ser o orientador, observado o estabelecido no Artigo 5º, Capítulo IV.

 

Capítulo VII - DA APRESENTAÇÃO DO TRABALHO ESCRITO E CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO EXAMINADORA

 

Artigo 14 -     O TCZ, impresso na forma final e sem capa, será entregue, em 04 (quatro) vias, ao CCGZ, através de carta de encaminhamento do autor, com visto do Orientador, dentro do prazo estabelecido no Calendário Escolar.
Parágrafo único –    Juntamente com os documentos constantes no caput deste artigo, o orientador deverá encaminhar, em envelope lacrado e formulário próprio, sua avaliação do aluno em parecer acompanhado de nota de 0 (zero) a 10 (dez), devendo ser considerada uma casa decimal.

Artigo 15 -     A comissão examinadora da avaliação do TCZ (responsável pela avaliação do relatório escrito e da apresentação oral) será composta por 3 membros, sendo:

I - Orientador ou o Co-orientador, Presidente nato da Comissão;

II - Dois convidados, indicados pelo CCGZ.

§ 1º -   O aluno e o orientador deverão incluir na carta de encaminhamento, além das informações referentes ao trabalho, sugestão de 06 (seis) nomes para composição da banca examinadora, sendo o primeiro, o nome do orientador.

§ 2º -   De posse do trabalho e da carta de encaminhamento, o Conselho de Curso constituirá a comissão examinadora e encaminhará documento a Área de Graduação/Pós-Graduação constando os nomes dos membros da comissão examinadora, sua(s) instituição(ões) de origem, data, horário e local da defesa, respeitado o período estabelecido no calendário para realização dessas atividades.

§ 3º -   Será de responsabilidade da Área de Graduação/Pós-Graduação o encaminhamento das versões do trabalho aos membros indicados para a constituição da banca, bem como a elaboração e disponibilização dos formulários necessários ao processo de análise.

§ 4º -   Poderão ser aceitas outras formas de apresentação para trabalhos diferenciados, tais como softwares, programas educativos, vídeos, etc., a critério do CCGZ.

§ 5º -   Trabalhos que se inserem na categoria de trabalho científico inédito, poderão ser entregues nas normas de publicação de revistas indexadas, devendo ser anexadas as normas de publicação da revista.

§ 6º -   O CCGZ poderá solicitar cópias adicionais do Trabalho se julgar necessário para o processo de avaliação.

§ 7º -   Somente os trabalhos entregues dentro do prazo estabelecido no calendário serão julgados no respectivo semestre letivo.

Artigo 16 –     Cada membro da comissão examinadora deverá atribuir uma nota de 0 (zero) a 10 (dez), devendo ser considerada apenas uma casa decimal, ao trabalho escrito, podendo sugerir correções e/ou alterações.

Artigo 17 –     O aluno terá o prazo máximo de 60 (sessenta) dias, contados a partir da defesa, para entregar a versão final do trabalho, com as correções sugeridas pela comissão examinadora, com a anuência do orientador.

 

Capítulo VIII - DA APRESENTAÇÃO ORAL

 

Artigo 18 –     A apresentação oral ocorrerá em local, data e hora indicados pelo CCGZ, respeitado o período estabelecido no calendário para esta atividade, e sob a presença da comissão examinadora constituída pelo CCGZ, de acordo com o Artigo 15 desta Portaria.

§ 1º -   O aluno terá de 20 (vinte) a 30 (trinta) minutos para realizar sua apresentação, devendo verificar com antecedência a disponibilidade e adequação das instalações e equipamentos disponíveis, às suas necessidades.

§ 2º -   Após a apresentação, cada membro da banca terá, no máximo, 20 (vinte) minutos para suas considerações e argüições na forma de diálogo.

§ 3º -   Ao final, a comissão examinadora atribuirá nota de 0 (zero) a 10 (dez), à apresentação oral do TCZ, devendo ser considerada apenas uma casa decimal.

 

Capítulo IX - DO JULGAMENTO E ENTREGA FINAL DO TCZ

 

Artigo 19 -     A nota final do TCZ será calculada pela média ponderada das notas atribuídas ao exemplar escrito do trabalho (peso 2), pelo orientador (peso 1) e pela comissão examinadora da apresentação oral (peso 1). Serão considerados aprovados os alunos que obtiverem nota final maior ou igual a 5,0 (cinco vírgula zero).

Artigo 20 -     Uma cópia em formato eletrônico (PDF/CD-ROM) do trabalho, na forma definitiva, com as correções efetuadas, deverão ser encaminhadas ao CCGZ.

Parágrafo único -     Para outras formas de apresentação de trabalhos diferenciados, tais como softwares, programas educativos, vídeos, etc., também deverá ser entregue em duas vias, na mídia utilizada.

Artigo 21 -     Caso tenha havido a participação de co-orientador(es) deverá(ão) ser encaminhada(s) cópia(as) adicional(is) do trabalho em arquivo eletrônico (PDF/CD-ROM).

Artigo 22 -     O CCGZ examinará a documentação sob o aspecto formal e, estando satisfeitas as exigências, encaminhará os exemplares, em formato de arquivo eletrônico (PDF/CD-ROM), na seguinte conformidade:

I – uma cópia para a Biblioteca;

II – uma cópia para o orientador e para cada Co-orientador (quando houver);

III – uma cópia para ser arquivada e integrar o prontuário do aluno junto à Área de Graduação/Pós-Graduação.

Artigo 23 -     Os membros da comissão examinadora receberão certificado de participação expedido pelo CCGZ.

§ 1º -   O(s) orientador(es) e o aluno receberão certificado de realização do TCZ expedido pelo CCGZ.

§ 2º -   A banca examinadora seguirá os critérios estabelecidos pelo CCGZ para o julgamento dos trabalhos.

 

Capítulo X - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

 

Artigo 24 -     Tanto o orientador como o orientado têm o direito de desistir do trabalho, em qualquer momento, devendo o aluno estar ciente das possíveis consequências para a integralização dos créditos.

Parágrafo único -     O pedido de desistência deverá ser encaminhado, com exposição de motivos, ao Conselho de Curso de Graduação em Zootecnia (CCGZ), o qual se reserva o direito de aceitá-lo ou não.

Artigo 25 -     Os casos omissos serão apreciados pelo Conselho de Curso de Graduação em Zootecnia (CCGZ).

Artigo 26 -     Este Regulamento poderá ser modificado ou emendado a critério do Conselho de Curso de Graduação em Zootecnia e manifestação do Conselho Diretor do Campus de Dracena.

Artigo 27 -     Esta Portaria entrará em vigor na data de sua assinatura, revogando-se as disposições em contrário.

 

Dracena, 17 de março de 2011.

Prof. Dr. MÁRIO DE BENI ARRIGONI
Coordenador Executivo

 
FORMULÁRIOS
 
Plano de Atividades TCZ
Parecer de Relatório TCZ
Avaliação do Orientador TCZ
 
       
UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Câmpus Experimental de Dracena